Revista Calidoscópio • Agosto de 2011

A co-construção do humor conversacional para encobrir diferentes objetivos interacionais

Clarissa Rollin Pinheiro Bastos e Letícia Rezende Stallone

 Neste artigo, propomos contribuir para os estudos do humor conversacional em encontros informais, numa perspectiva interacional. Mostramos a co-construção do humor, entre amigos, com base no enquadre da brincadeira (Bateson, 2002), tendo em vista a superposição ou laminação dos enquadres (Goffman, 1974; Tannen e Wallat, 2002 [1987]; Gordon, 2008) e observando as pistas de contextualização (Gumperz, 1982), na sequência conversacional. Para isso, consideramos a gravação em áudio de encontros informais entre amigos, nos quais preparam saborosos pratos, totalizando 16 horas de gravação. Evidenciamos que (i) o humor co-construído pode funcionar como uma lâmina que encobre pedidos, (i) os participantes estão cientes de suas habilidades de manipularem enqua- dres, usando simultaneamente a brincadeira e algum outro enquadre e (iii) os pedidos encobertos pelo humor não são necessariamente atendidos.

Ler este artigo na íntegra →